Caixa de dez/21

Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz

Cristina (MG)

O Cománz nasceu durante a pandemia, por um casal que, nesse mês de novembro, sobe ao altar. Rodrigo, de Cristina (MG) e Marjorie, de Bananeiras (PB), se viram pela primeira vez em um evento em João Pessoa. Não se falaram, e foram se conhecer tempos depois trocando mensagens no Instagram. Tudo está dando tão certo para a dupla que eles já vendem diferentes doces de leite, licor, geleias, café e pão de queijo na região e também em São Paulo. “O que fazemos é um laboratório de mineirices”, define Rodrigo, que começou o negócio usando café do tio (que só era exportado).

 

Com a experiência de Marjorie na confeitaria, eles foram experimentando e criando o portfólio, usando muito dos insumos de pequenos produtores da cidade. “A gente acredita que é uma forma de ajudar a fazer a economia girar”, conta Rodrigo.


Para a caixa do Clube, tem um doce de leite com especiarias, “criado a partir de um doce que vimos lá na Paraíba”, explica Marjorie. Leva cravo, canela, gengibre, cardamomo e café, em um caramelado que lembra o similar argentino. Fica no limite de Buenos Aires e Cristina, brincam. Para acompanhar, um licor de doce de leite, feito com álcool de cereais. Já provou algo assim? Resultado desse laboratório mineiro.

Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz
Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz

press to zoom
Rodrigo Martins e Marjorie Beltrão – Cománz
Rodrigo Martins e Marjorie Beltrão – Cománz

press to zoom
Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz
Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz

press to zoom
1/2

ONDE COMPRAR:

@comanzmg

Café Sertãozinho – Cristina (MG)

Edinho, 31 anos, começou a cultivar café aos 16, em terras do tio, em Cristina (MG) De lá pra cá, só cresceu na produção (algumas terras são arrendadas, muito comum no interior). Na altitude de 1.300 metros, o café Sertãozinho atinge pontuação alta, o que o define como um café especial. Na caixa do Mantiqueirias tem um Bourbon amarelo, de acidez média, com notas de mel, melaço, açúcar mascavo, “mais frutado”, característico da região, conta Edinho. E uma pontuação que chega a 87.5.


Mas o que isso quer dizer? Cafés especiais são aqueles que possuem, pelo menos, 80 pontos na Metodologia SCA (Specialty Coffee Association) de Avaliação Sensorial. São cafés da mais alta qualidade, com pouco ou nenhum defeito e com um carácter distintivo no copo. Para isso, são avaliados os seguintes atributos: fragrância/aroma, uniformidade (cada xícara representa estatisticamente 20% do lote avaliado), ausência de defeitos, doçura, sabor, acidez, corpo, finalização, harmonia e conceito final (impressão geral sobre o café, atribuída pelo classificador, único item de subjetividade do classificador na avaliação da amostra).

café Bourbon Amarelo Sertãozinho
café Bourbon Amarelo Sertãozinho

press to zoom
Edson da Silva - Café Sertãozinho
Edson da Silva - Café Sertãozinho

press to zoom
café Bourbon Amarelo Sertãozinho
café Bourbon Amarelo Sertãozinho

press to zoom
1/2

ONDE COMPRAR:

@sertaozinhocafe

Bolachinha e doce de leite de

mini vaca – Mini Fazendinha Gilsan

Cristina (MG)

Uma das (novas) atrações de Cristina (MG) é visitar, principalmente para quem tem filhos, a Mini Fazendinha Gilsan, do casal Gilmar e Sandra. Na área urbana da cidade, eles abrem o espaço onde criam doze diferentes espécies de animais, muitas delas em tamanho menor, como os pôneis e as mini vacas. “Começamos comprando um pônei para nosso filho, quando ele era pequeno, uns 6 anos atrás”, conta Gilmar. De lá pra cá outros bichos foram serem adquiridos, como lhamas, que eram disponibilizados em eventos da região.

 

Com a pandemia, uma das soluções para garantir o sustento foi usar o leite das vacas (que não são filhotes e sim espécies menores que as tradicionais) para produção de queijo, requeijão e doce de leite. “Comecei fazendo as bolachinhas de nata”, explica Sandra, que logo viu o interesse crescer e, assim, aumentou o portfólio.


Os dois produtos da caixa do Mantiqueirias de dezembro são as bolachinhas e um doce de leite, tudo feito a partir de leite natural das mini vacas, que só se alimentam de pasto.

Bolachinhas de Nata de Leite de Mina Vaca e Doce de Leite de Mini Vaca, Gilsan
Bolachinhas de Nata de Leite de Mina Vaca e Doce de Leite de Mini Vaca, Gilsan

press to zoom
Gilmar e Sandra da Silva – Fazendinha Gilsan
Gilmar e Sandra da Silva – Fazendinha Gilsan

press to zoom
Fazendinha Gilsan
Fazendinha Gilsan

press to zoom
Bolachinhas de Nata de Leite de Mina Vaca e Doce de Leite de Mini Vaca, Gilsan
Bolachinhas de Nata de Leite de Mina Vaca e Doce de Leite de Mini Vaca, Gilsan

press to zoom
1/3

ONDE COMPRAR:

Vá a Cristina e visite a @minifazendinhagilsan

Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz

Cristina (MG)

O Cománz nasceu durante a pandemia, por um casal que, nesse mês de novembro, sobe ao altar. Rodrigo, de Cristina (MG) e Marjorie, de Bananeiras (PB), se viram pela primeira vez em um evento em João Pessoa. Não se falaram, e foram se conhecer tempos depois trocando mensagens no Instagram. Tudo está dando tão certo para a dupla que eles já vendem diferentes doces de leite, licor, geleias, café e pão de queijo na região e também em São Paulo. “O que fazemos é um laboratório de mineirices”, define Rodrigo, que começou o negócio usando café do tio (que só era exportado).

 

Com a experiência de Marjorie na confeitaria, eles foram experimentando e criando o portfólio, usando muito dos insumos de pequenos produtores da cidade. “A gente acredita que é uma forma de ajudar a fazer a economia girar”, conta Rodrigo.


Para a caixa do Clube, tem um doce de leite com especiarias, “criado a partir de um doce que vimos lá na Paraíba”, explica Marjorie. Leva cravo, canela, gengibre, cardamomo e café, em um caramelado que lembra o similar argentino. Fica no limite de Buenos Aires e Cristina, brincam. Para acompanhar, um licor de doce de leite, feito com álcool de cereais. Já provou algo assim? Resultado desse laboratório mineiro.

Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz
Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz

press to zoom
Rodrigo Martins e Marjorie Beltrão – Cománz
Rodrigo Martins e Marjorie Beltrão – Cománz

press to zoom
Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz
Doce de leite com especiarias e licor de doce de leite - Cománz

press to zoom
1/2

ONDE COMPRAR:

@comanzmg

Café Cristina

Cristina (MG)

A família de Lívia Barros cultiva café há mais de um século em Cristina (MG). Mas foi em 2002 que o pai dela, junto com o tio, resolveram investir nos cafés especiais. Assim é o Café Cristina, do tipo arábico, que os assinantes do Clube vão receber.

 

“Ele é colhido seco, nao passa por secagem, depois vai para um celeiro por alguns dias e então volta para o terreiro, onde é finalizada a secagem em uma temperatura ideal”, conta a produtora.  Este café tem notas de chocolate e caramelo., 


Nessa mesma caixa tem o Bourbon amarelo Sertãozinho. Que tal provar os dois e perceber as diferenças? Depois conta para gente, pelo Instagram, o que achou.

Café Puro Arábica Cristina
Café Puro Arábica Cristina

press to zoom
Lívia Barros - Café Cristina
Lívia Barros - Café Cristina

press to zoom
Café Puro Arábica Cristina
Café Puro Arábica Cristina

press to zoom
1/2

ONDE COMPRAR:

@cafecristina

QUER ASSINAR?

ICONES-02.png

MANTIQ

Receba 5 a 6 produtos

diferentes todo mês.

semestral - R$ 199/mês 

ou anual - R$ 185/mês 

com frete incluso.

ICONES-03.png

CAIXA AVULSA

Receba uma única caixa MANTIQ, com 5 a 6 produtos.

R$ 199 + frete R$ 27

ICONES-04_edited.png

SUA MANTIQ

5 a 6 produtos escolhidos por você, de acordo com o que temos em estoque. Entrega sempre na segunda semana do mês.

R$ 215 + frete R$ 27